aviação

Ryanair volta a mudar regras para viajar. Saiba o que vai acontecer

(REUTERS/Clodagh Kilcoyne)
(REUTERS/Clodagh Kilcoyne)

Até agora, os passageiros poderiam proceder ao check-in online com quatro dias de antecedência.

A Ryanair vai voltar a mudar regras. A companhia aérea irlandesa está a contactar os seus passageiros para as novas indicações relativas ao check-in online e que vão afetar quem comprou viagens sem pagar pelo suplemento de reserva de lugar.

As alterações vão entregar em vigor a partir de 13 de junho, mesmo que já tenha comprado a viagem. Quem tiver um bilhete normal, só poderá fazer o check-in online com 48 horas de antecedência, tal como já acontece em grande parte das companhias de aviação, mesmo nas que não são de baixo custo, adianta esta quarta-feira o jornal Irish Independent.

Até agora, os passageiros poderiam proceder ao registo online com quatro dias de antecedência. Até 2016, o check-in online poderia ser feito uma semana antes da viagem.

Se quiser marcar o seu lugar mais cedo no avião, terá de pagar quatro euros, por voo. Desta forma, poderá fazer o check-in com dois meses de antecedência.

No início do ano, a companhia irlandesa mudou as regras de transporte de bagagem: os passageiros só poderão levar uma bagagem de mão junto a si, no voo.

A Ryanair explica em comunicado que “o check-in online (para clientes que não adquiriram assentos reservados) estará disponível a partir de 48 horas antes do voo e até 2 horas da partida em todos os voos a partir de 13 de junho. Este espaço temporal é o dobro das 24 horas para check-in online permitidas pela British Airways, Aer Lingus, Norwegian ou a Iberia e superior ao período de 36 horas para o check-in online da TAP. Esta pequena alteração irá permitir aos clientes que desejem reservar assentos mais tempo para escolher o seu lugar preferido antes da partida do voo.”

(Notícia atualizada dia 17 de maio às 15:20, acrescentando as declarações da Ryanair)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Ryanair volta a mudar regras para viajar. Saiba o que vai acontecer