banca

Saíram 107 trabalhadores do Santander em Portugal no primeiro semestre

Carlos Manuel Martins/Global Imagens
Carlos Manuel Martins/Global Imagens

Em 2019, "deverão entrar entre 100 e 120 colaboradores" para o banco, garantiu o presidente executivo do Santander em Portugal.

O Santander Portugal reduziu em 107 o seu número de trabalhadores nos primeiros seis meses de 2019 e encerrou 19 agências bancárias.

Pedro Castro e Almeida, presidente executivo do banco, explicou esta quarta-feira que os trabalhadores que saíram do banco correspondiam a situações de reforma e pré-reforma.

Em 2019, “deverão entrar entre 100 e 120 colaboradores” para o banco, sobretudo com formação nas áreas de matemática, engenharia e informática, adiantou o banqueiro na conferência de apresentação de resultados do banco.

No final de junho, o banco contava com 6.330 colaboradores face aos 6.437 no fim de 2018. Quanto a balcões, existiam 543 em junho, o que compara com 562 no final de dezembro.

O banco deverá continuar a fazer fusão de balcões nas grandes cidades, sempre que tenha oportunidade, adiantou Pedro Castro e Almeida.

Mas afastou que possa estar em causa a saída de trabalhadores numa escala como a que tem sido registada no grupo em Espanha, apontando que naquele mercado o banco atingiu uma situação de sobredimensionamento em termos de número de agências e de colabores, após as compras de concorrentes.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Saíram 107 trabalhadores do Santander em Portugal no primeiro semestre