Taxa de Macron à aviação custa 60 milhões ao grupo Air France

Benjamin Smith, Air France/KLM
Foto: D.R
Benjamin Smith, Air France/KLM Foto: D.R

Benjamin Smith diz que a taxa está a ser crida pelas razões erradas e que não contribui para melhorar o transporte

A nova taxa que o governo francês anunciou para penalizar as companhias aéreas pelas emissões de CO2 vai custar 60 milhões de euros ao grupo Air France. A oposição do grupo já tinha sido bem expressa no início do verão e, Benjamin Smith, presidente do grupo Air France/KLM, voltou a reforçá-la na cerimónia de comemoração dos 100 anos da companhia holandesa, que integrou o grupo em 2004.

“Sou fortemente contra esta taxa por variadas razões. Esta taxa não será usada para que a indústria da aviação possa reinvestir em formas mais eficientes para viajar, vai custar ao grupo Air France/KLM 60 milhões de euros, e está a ser aplicada pelas razões erradas”, disse o responsável, num encontro com jornalistas.

O governo francês anunciou que irá avançar com uma taxa para apoiar o meio ambiente, e que deverá render 180 milhões aos cofres franceses em 2020. A ecotaxa será aplicada a todas as companhias aéreas com voos a partir de França. Para os voos dentro da UE será de 1,5 euros para os bilhetes em classe económica e de nove euros para os de classe executiva. Para os voos fora da União Europeia, a ecotaxa será de três euros em classe económica e de 18 euros em classe executiva.

A Air France tem sido a maior opositora deste novo imposto por ter a sua base, precisamente, naquele país.

* Em Amesterdão, a convite da KLM

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

Taxa de Macron à aviação custa 60 milhões ao grupo Air France