Trabalhadoras da antiga Triumph começaram hoje a receber subsídio de desemprego

As trabalhadoras da antiga Triumph, em Loures, que foi declarada insolvente no final do mês janeiro, começaram hoje a receber o subsídio de desemprego, disse à agência Lusa fonte sindical.

As trabalhadoras da antiga Triumph, em Loures, que foi declarada insolvente no final do mês janeiro, começaram hoje a receber o subsídio de desemprego, disse à agência Lusa fonte sindical.


Em declarações à Lusa, Manuela Prates, do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Curtumes do Sul, referiu que as 463 trabalhadoras receberam esta sexta-feira a verba referente a dois dias do mês de janeiro e que irão receber os dias todos referentes a fevereiro até ao dia 23.


“Trata-se de um processo que está a andar a velocidade de cruzeiro. Podemos dizer que está a ser feito tudo aquilo que poderia ser feito, graças à luta do sindicato e das trabalhadoras”, apontou.


A sincalista adiantou ainda que as trabalhadoras também já receberam resposta ao requerimento que tinham feito para receber o fundo de garantia salarial, uma resolução que o sindicato considera ter sido “tomada em tempo recorde”.


“Estamos a falar de processos bastante burocráticos e que normalmente demoram meses até terem uma resposta. Aqui resolveu-se no espaço de um mês”, acrescentou.


Entretanto, no domingo realiza-se no pavilhão do Sacavenense, em Sacavém, um concerto de apoio às trabalhadoras da Triumph, um evento organizado pela Câmara Municipal de Loures, em parceria com a União dos Sindicatos de Lisboa/CGTP-IN.


O evento tem início às 16:00 e conta com a presença de diversos artistas, nomeadamente Vitorino, Peste & Sida, Sebastião Antunes, António Saiote e Ensemble de Clarinetes e Celina da Piedade.


A fábrica da antiga Triumph, situada na freguesia de Sacavém, concelho de Loures, foi adquirida no início de 2017 pela TGI-Gramax e empregava 463 trabalhadores.


Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia
(Diana Quintela/ Global Imagens)

Siza Vieira. “Empresas portuguesas são naturalmente abertas ao exterior”

Antonoaldo Neves, CEO da TAP

Montijo não é solução para a TAP. “Queremos resolver o casamento com a Portela”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Trabalhadoras da antiga Triumph começaram hoje a receber subsídio de desemprego