Transporte

Uber reinventa-se e aposta na entrega de refeições ao domicílio

UberEATS

Empresa vai tentando selar parcerias com os restaurantes de Lisboa, onde deverá atuar exclusivamente pelo menos até ao final do ano.

Chama-se UberEATS e representa o novo negócio paralelo que a Uber, a mesma empresa que faculta um transporte alternativo, quer implementar no país: “Descobrir e encomendar comida de forma rápida e conveniente através dos seus smartphones”.

Esta ferramenta da aplicação está atualmente em fase de testes, mas a Uber planeia que se materialize até ao final do ano, só em Lisboa, visto não haver qualquer referência a outras zonas do país.

“O UberEATS vai chegar a Lisboa até ao final do ano. O serviço de entrega de refeições ao domicílio da Uber vai ligar os utilizadores de Lisboa aos melhores restaurantes da cidade”, lê-se no comunicado enviado às redações.


Veja também WTF e Uber assinam parceria para clientes do tarifário móvel


No mesmo documento, a Uber adianta estar “ativamente a estabelecer parcerias com os melhores restaurantes da cidade, dando-lhes acesso a uma nova ferramenta que lhes permitirá aumentar a sua base de clientes e melhorar a sua eficiência”.

Na senda da apresentação do novo negócio, a Uber diz estar ainda disponível a receber candidaturas de pessoas interessadas numa “oportunidade flexível e ajustada ao seu tempo e dia-a-dia”, isto é, em trabalhar como estafetas para a UberEATS . As candidaturas podem ser feitas aqui.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Uber reinventa-se e aposta na entrega de refeições ao domicílio