Impostos

Sobretaxa acaba para 1,1 milhões de pessoas já em janeiro

Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens
Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

A sobretaxa do IRS vai acabar já no início do ano - e não em abril - para os contribuintes que se enquadram no 2º escalão de rendimentos.

Os contribuintes que têm um rendimento coletável anual entre os 7 mil e os 20 mil euros vão deixar de pagar sobretaxa já em janeiro, segundo prevê uma das propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2017. A notícia foi avançada pela TVI e confirmada pelo Dinheiro Vivo, que apurou também que o custo da medida é inferior a 10 milhões de euros.

Na proposta do OE, conhecida em outubro, estava previsto que os contribuintes que se enquadram naquela ordem de grandeza de rendimentos mantivessem a retenção na fonte para a sobretaxa de janeiro a março. Estes três meses de retenções deveriam ser suficientes para acautelar o pagamento da sobretaxa de 0,25% aplicável a este escalão.

Entre as propostas de alteração ao OE consta agora uma que elimina a sobretaxa já em janeiro. Neste escalão de rendimento estão cerca de 1,15 milhões de contribuintes e para eles o último pagamento para este adicional ao IRS será em dezembro.

Em 2016, o governo reduziu a sobretaxa (até aí de 3,5%) para todos os escalões, exceto para o 5º e último – que integra os cerca de 12 mil contribuintes que têm um rendimento coletável anual superior a 80 mil euros. Na mesma altura eliminou-a para os contribuintes do 1º escalão – que na prática faziam um empréstimo forçado ao Estado, já que a que a totalidade do que descontava através da retenção na fonte, era-lhes devolvido no momento do reembolso.

Para 2017, as taxas da sobretaxa do IRS voltam a reduzir-se tendo o governo decidido eliminar de forma progressiva as retenções na fonte.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Sobretaxa acaba para 1,1 milhões de pessoas já em janeiro