Câmbio

À boleia da valorização do euro: onde quer ir de férias?

Pamukkale é uma das maiores atrações da Turquia
Pamukkale é uma das maiores atrações da Turquia

O valor do euro pode dar uma ajuda na escolha das férias. São várias as hipóteses onde o câmbio está hoje mais generoso que há um ano

O euro pode ser o melhor amigo de quem se prepara para gozar férias. A valorização da moeda única ainda se verifica no rescaldo da votação dos britânicos para deixarem a União Europeia, mas está longe de se refletir apenas no câmbio com a libra.

A moeda utilizada em Portugal está mais competitiva em relação a zonas como o México, Egipto, África do Sul ou Turquia, mostram as contas da Ebury, instituição financeira especializada em pagamentos internacionais.

Há um ano, o euro valia 0,702 libras; hoje está em 0,845, mais 20,37%. Não é só. Em relação ao peso mexicano, a moeda da zona euro está 19,2% mais valiosa, equivalendo hoje 21,1 pesos.

Veja como desligar nas férias

Países como Egipto, África do Sul e a Turquia também estão entre os que mais embarateceram graças ao câmbio. A libra egípcia desvalorizou mais de 16% face ao euro em apenas 12 meses e agora negoceia em torno das 9,92 unidades face às 8,55 de agosto do ano passado.

O rand sul-africano, por sua vez, perdeu 11,43% do seu valor. Um euro vale agora 15,6 unidades desta moeda africana; já a moeda turca perdeu 10,2% face ao euro e 1 euro vale agora 3,35 liras.

Mas nem todos os destinos são vantajosos para carteiras cheias de euros. Viajar para a Nova Zelândia, por exemplo, sai hoje 6,63% mais caro. Em agosto de 2015 compravam-se 1,66 dólares neozelandeses com um euro; agora compram-se 1,55.

O mesmo acontece com a Austrália, onde a perda foi de 1,53% – compram-se hoje 1,477 dólares australianos por um euro; antes eram 1,5.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido REUTERS/Henry Nicholls - RC12D8BECE70

Boris Johnson ganha eleições britânicas com maioria absoluta

Trump Xi China

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

EDP processa o Estado. Elétrica exige 717 milhões de euros

Outros conteúdos GMG
À boleia da valorização do euro: onde quer ir de férias?