finanças pessoais

Plataforma online chega a Portugal para comparar cartões e crédito pessoal

Analistas defendem medidas que realcem a importância da poupança e da gestão dessa mesma poupança
Analistas defendem medidas que realcem a importância da poupança e da gestão dessa mesma poupança

Poupar 550 euros num crédito pessoal a 24 meses ou 250 euros por ano num cartão de crédito são algumas das garantias apresentadas esta quarta-feira pela ComparaJá, uma nova plataforma de comparação de produtos financeiros que está em Portugal desde junho deste ano.

Queremos desmistificar a complexidade dos produtos financeiros“, assume Sérgio Pereira, o diretor-geral desta plataforma, que pretende ser uma “porta de entrada” para os bancos no mercado digital. A ComparaJá quer servir como “porta de entrada para comparar produtos” e permitir uma “melhor gestão do orçamento familiar” e assegurar a “prevenção do sobreenvididamento”. Tudo “em apenas 10 segundos“.

Esta página conta, nos primeiros quatro meses, com 40 mil visitas mensais e cerca de 120 mil páginas vistas. Compara, nesta fase, apenas as ofertas de crédito pessoal e de cartões de crédito, consideradas como as soluções “mais simples para mostrar as capacidades de utilização” desta plataforma.

Os dados são tratados de duas formas, explica Sérgio Pereira. No crédito pessoal foi desenvolvida uma calculadora independente, em que se faz uma relação entre o montante de empréstimo e a sua duração. Nos cartões de crédito é utilizado um algoritmo. A recolha destes dados obriga também, naturalmente, à consulta dos preçários dos bancos.

Financiamento por consulta

A plataforma é 100% gratuita e não tem qualquer publicidade. Como é que é financiada? A ComparaJá recebe um pagamento (fee) por referência, momento em que o consumidor é transferido da plataforma para as páginas da instituições. Já foram estabelecidos, neste âmbito, vários acordos.

A Unibanco é a única entidade na área do crédito pessoal e dos cartões de crédito. Nesta área, a ComparaJá já tem acordos com o Barclaycard, unidade do grupo Barclays que permanece em Portugal depois da venda do negócio de retalho ao Bankinter.

O objetivo da empresa é trabalhar com todos os bancos e entidades de crédito, até porque “o segredo para o setor é apanhar o comboio para o futuro”, sustenta José Soares, ex-BESI e um dos membros da administração da plataforma em Portugal.

Mais serviços

A ComparaJá pretende alargar o leque de serviços disponíveis em Portugal, ao estender os comparativos ao crédito automóvel, aos seguros e aos depósitos a prazo. Novidades que serão introduzidas nos primeiros meses de 2016 em Portugal, país que representa uma “grande oportunidade de mercado” para Antonio Gagliardi, diretor-geral do CompareEuropeGroup.

Este é o grupo que detém o portal ComparaJá e que “acredita muito no potencial” do nosso país. Portugal é um dos três países em que está presente este grupo. Em todo o mundo são 13 países, nos continentes europeu, americano (México) e asiático. Bélgica será o 14.º membro, já a partir de novembro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

Subida de comissões bancárias compensa descida dos spreads

. 
Foto: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Novas medidas preveem pagar IMI a prestações e simular custos da Justiça

António Serrano, nos estúdios da TSF. Professor catedrático e político português, foi Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XVIII Governo Constitucional de Portugal.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

António Serrano: “É preciso um choque de gestão no território florestal”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Plataforma online chega a Portugal para comparar cartões e crédito pessoal