Coronavírus

1342 mortos e 31007 casos confirmados de covid-19 em Portugal

dgs covid portugal coronavirus
(FOTO: EPA/MARIO CRUZ)

Já há 1342 mortos e 31007 casos de covid-19 em Portugal, segundo dados divulgados esta terça-feira no boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde (DGS). Morreram mais 12 pessoas em Portugal com o novo coronavírus e há mais 219 casos confirmados em 24 horas.

São já 18 096 os doentes que recuperaram (mais 274 em 24 horas). Há 513 pessoas infetadas internadas (menos 18), 71 nos cuidados intensivos (menos uma).

Segundo a DGS os sintomas de covid-19 registados são: febre em 29% dos casos, tosse em 40%, dificuldade respiratória em 12%, cefaleia em 20%, dores musculares em 21% e fraqueza generalizada em 15%.

O relatório de situação da DGS aponta agora para 313 886 casos suspeitos desde o início do ano, dos quais 281 064 não confirmados e 1815 pessoas a aguardar resultado laboratorial. Estão em vigilância pelas autoridades de saúde 26 392 pessoas em Portugal.

A “situação em Lisboa é complexa”, afirma a diretora-geral da Saúde. Em “Lisboa e Vale do Tejo, sob vigilância das autoridades de saúde, estão 11359 pessoas”. Graça Freitas acrescentou que “há três pequenos focos comunitários localizados no agrupamento de saúde Almada/Seixal, com um total de 32 pessoas positivas”. Segundo a mesma fonte, “o agrupamento, a câmara e outros intervenientes têm atuado diretamente nos bairros e nos aglomerados destas pessoas para tentar encontrar casos secundários e travar as cadeias de transmissão”.

O Norte regista o maior número de óbitos, 752, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo com 325, a região centro com 234, os Açores com 15, o Algarve com 15 e o Alentejo com um morto. Na Madeira não há mortos a lamentar.

São sete os concelhos em Portugal com mais de 1000 casos confirmados: Lisboa lidera com 2206, seguem-se Vila Nova de Gaia com 1552, Porto com 1347, Matosinhos com 1272, Braga com 1213, Sintra com 1107 e Gondomar com 1079.

DGS 26 covid 19

OMS considera cada vez mais improvável segunda grande vaga

A diretora do departamento de Saúde Pública da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou esta segunda-feira que é “cada vez mais” improvável uma segunda grande vaga do novo coronavírus, mas aconselhou muita prudência.

Em entrevista à rádio catalã RAC-1, Maria Neira indicou que os modelos de previsão com que a OMS trabalha “avançam muitas possibilidades, desde novos surtos pontuais a uma nova vaga importante, mas esta última possibilidade é cada vez mais de descartar”.

“Estamos muito mais bem preparados em todos os sentidos”, afirmou a médica espanhola, que recomendou “muita prudência e bom senso” numa fase “muito crítica” da pandemia da covid-19 e pediu que a população não “entre em paranoia nem se relaxe demasiado” e que “aprenda a conviver com doenças infecciosas”.

Deveres e obrigações no acesso às praias entram amanhã em vigor

O diploma que regula o acesso, ocupação e utilização das praias de banhos foi publicado em Diário da República.

Os deveres e obrigações dos utilizadores das praias e dos concessionários destes espaços e equipamentos entram amanhã (terça-feira) em vigor, agora que o diploma que regula esta matéria foi publicado em Diário da República. As praias abrem oficialmente a 6 de junho.

Os sintomas do novo coronavírus:

Coronavírus - sintomas

LEIA AQUI TODA A COBERTURA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Paschal Donohoe

Sucessor de Centeno: Irlandês Donohoe surpreende e bate espanhola Calviño

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Défice de 2020 vai ser revisto para 7%. Agrava previsão em 0,7 pontos

Comissário Europeu Valdis Dombrovskis. Foto: STEPHANIE LECOCQ / POOL / AFP)

Bruxelas acredita que apoio a empresas saudáveis estará disponível já este ano

1342 mortos e 31007 casos confirmados de covid-19 em Portugal