Coronavírus

1455 mortos e 33592 casos confirmados de covid-19 em Portugal

dgs covid portugal coronavirus
(FOTO: EPA/MARIO CRUZ)

Já há 1455 mortos e 33592 casos de covid-19 em Portugal, segundo dados divulgados esta quinta-feira no boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde (DGS). Mais oito mortos e 331 casos positivos em 24 horas.

A taxa de letalidade global é de 4,3% e a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 17,3%.

O total de casos recuperados é de 20 323 (mais 244). Há 445 pessoas infetadas internadas (mais 17), 58 nos cuidados intensivos (mais dois). 96,2% dos casos ativos estão a recuperar em casa.

Segundo a DGS os sintomas de covid-19 registados são: febre em 29% dos casos, tosse em 40%, dificuldade respiratória em 11%, cefaleia em 20%, dores musculares em 21% e fraqueza generalizada em 15%.

O relatório de situação da DGS aponta agora para 333 106 casos suspeitos desde o início do ano, dos quais 297 773 não confirmados e 1741 pessoas a aguardar resultado laboratorial. Estão em vigilância pelas autoridades de saúde 28 685 pessoas em Portugal.

O Norte regista o maior número de óbitos, 801, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo com 383, a região centro com 240, os Açores com 15, o Algarve com 15 e o Alentejo com um morto. Na Madeira não há mortos a lamentar.

São oito os concelhos em Portugal com mais de 1000 casos confirmados: Lisboa lidera com 2536, seguem-se Vila Nova de Gaia com 1580, Porto com 1401, Sintra com 1400, Matosinhos com 1285, Braga com 1230, Gondomar com 1087 e Loures com 1147.

«DGS 04 covid-19

Pandemia põe em risco 945 mil empregos no curto prazo

Estudo da Universidade Católica antecipa efeitos negativos no emprego até 2022, resultado da pandemia de covid-19, mas que poderão diluir-se com as medidas que o governo decidir tomar.

A pandemia do novo coronavírus põe em risco 945 mil postos de trabalho, de acordo com as contas do Prosper – Centro da Economia para a Prosperidade, da Universidade Católica, que lança hoje o seu primeiro estudo. É um efeito de curto prazo, que a taxa oficial de desemprego continua a não espelhar devido à passagem de muitos à inatividade e que o mecanismo de lay-off simplificado tem minimizado, com pelo menos 804 mil trabalhadores abrangidos até aqui.

Governo cria abono de família extra a pagar em setembro

O Governo decidiu criar dois novos apoios para as famílias e trabalhadores que perderam rendimentos devido à crise provocada pelo confinamento forçado da população, incluindo um abono de família extraordinário a pagar em setembro.

A notícia é avançada esta quinta-feira pelo jornal Público, que adianta que será criado também um complemento para os trabalhadores com vencimentos até 1270 euros que sofreram cortes de um terço no salário devido à crise provocada pelas medidas adotadas no âmbito da epidemia. O complemento poderá ir até aos 351 euros.

Os sintomas do novo coronavírus:

Coronavírus - sintomas

LEIA AQUI TODA A COBERTURA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Exportações em queda

Exportações nacionais caíram 39% em maio

João Rendeiro, ex-gestor do BPP

João Rendeiro, ex-presidente do BPP, condenado a pena de prisão

Amesterdão, Países Baixos. Foto: D.R.

Portugal perde quase 600 milhões de euros de receita de IRC para offshores

1455 mortos e 33592 casos confirmados de covid-19 em Portugal