Superbrands

Superbrands. BCP e EDP conquistam 13º selo dourado. Dolce Gusto leva o primeiro

A carregar player...

O Pestana Palace, em Lisboa, foi o palco da Gala Superbrands, que distinguiu as marcas que mais de destacaram em 2017

A festa das marcas voltou a celebrar o que de melhor se faz no mundo do marketing em Portugal. Na edição deste ano da Gala Superbrands, 33 marcas subiram ao palco do Pestana Palace, em Lisboa, para receber o ambicionado “selo dourado”, que carimba a excelência do trabalho das marcas e da sua relação com os consumidores.

Numa gala que contou com a apresentação de Francisco Menezes, e que apelidou o projeto de “Liga dos Campeões das marcas”, coube a Steve Smith, CEO e fundador da Superbrands Worlwide, dar as boas vindas aos participantes no evento.

“Hoje reconhecemos o trabalho das marcas, desde o seu início humilde até construírem a grandeza que têm hoje. Lembrem-se de quem são. São uma Superbrand e por isso são únicos”, destacou o responsável pela existência do projeto.

Steve Smith encorajou as marcas a usar o selo da Superbrands nos seus produtos ou serviços, uma vez que “está provado que os consumidores ficam mais propensos a comprar ou a usar uma marca” com este carimbo.

Entre as 33 premiadas da noite , duas destacaram-se por terem feito o pleno nestas 13 edições da Superbrands: EDP e Millenium BCP voltaram a subir ao palco para receber o selo dourado. São as únicas marcas portuguesas que se podem orgulhar de ter conquistado tal feito.

O segundo lugar do pódio pertence aos CTT, que nas 13 edições das “super marcas” só falhou uma distinção, logo no primeiro ano do evento em Portugal.

A RTP conquistou a medalha nos últimos cinco anos e o BPI subiu ao palco pelo quarto ano consecutivo.

Do Global Media Group, destacam-se as distinções da TSF e do Diário de Notícias, que repetem o prémio já conquistado no ano passado. O Dinheiro Vivo foi, mais uma vez, media partner da iniciativa.

Para a Dolce Gusto, a 13a edição teve um sabor especial, já que foi a primeira vez que a marca de máquinas e cápsulas de café levou o selo dourado para casa, dez anos após a sua criação.

A entrega dos prémios foi feita por ordem alfabética e contemplou as 33 marcas que vão integrar o livro Superbrands Portugal 2017. Foram premiados os seguintes emblemas:

Amex, Bimby, Bom Petisco, BPI, Branca de Neve, Cartuxa, Chicco, CTT, Diário de Notícas, EDP, ERA Imobiliária, Johnson, Lanidor, Lidl, Mastercard, Médis, Mercedes-Benz, Millennium BCP, Montepio, Nescafé Dolce Gusto, Pestana, Pousadas de Portugal, Rádio Renascença, Remax, RFM, RTP, Sapo, Sport Lisboa e Benfica, Sport TV, Sporting Clube de Portugal, Tranquilidade, TSF e Vista Alegre.

As marcas vencedoras são escolhidas por um Conselho Superior, composto por personalidades das próprias marcas, das associações representativas do setor de Marketing e Publicidade e ainda das Agências de Publicidade e Gestão das Marcas.

Este painel classifica uma lista inicial que é composta por mais de 1300 marcas presentes no mercado, de acordo com critérios como o “domínio de mercado”, a “longevidade”, a “goodwill”, a “fidelização” e a “aceitação.

Além do Conselho Superior, também os consumidores são chamados a manifestar-se sobre as marcas que têm em casa. Os atributos a votos são as “marcas em que mais confia”, “marcas com que se identifica”, “marcas que satisfazem as suas necessidades” e “marcas que considera mais conhecidas”.

A seleção final é obtida após uma ponderação que junta a votação do Conselho Superior e do público.

A Superbrands está em Portugal há 12 anos e distribuiu desde então mais de 180 selos dourados.

O evento entregou ainda o prémio Superbrands Solidário, que este ano coube à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV). João Lázaro, presidente da associação, subiu ao palco para receber a distinção.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves EPA/GUILLAUME HORCAJUELO

TAP contrata mil tripulantes, traz 37 aviões novos e liga o Whatsapp (de graça)

Fotografia: João Girão/Global Imagens

Autoeuropa pode parar a qualquer momento por falta de espaço para os carros

gaspar fmi contas públicas défice dívida

FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Superbrands. BCP e EDP conquistam 13º selo dourado. Dolce Gusto leva o primeiro