António Saraiva

Governação económica da Europa finalmente em debate

Tem sido justamente reconhecido o contraste da resposta da União Europeia à presente crise, relativamente ao que foi a muito deficiente gestão da crise anterior. De facto, na longa crise de 2008/2014, o próprio Banco Central Europeu, cuja atuação foi considerada crucial para evitar o colapso da zona do euro, tardou em reagir adequadamente às circunstâncias. Só no verão de 2012 o simbólico "whatever it takes" de Draghi marcou irreversivelmente o início do fim na crise do euro.
Desta vez, a União Europeia soube criar, na esfera monetária como na orçamental, condições - não ideais, mas certamente favoráveis - para ultrapassar, em comum, um desafio sem precedentes. Entre essas condições esteve a derrogação das regras orçamentais, acionada logo em março de 2020, que veio permitir a indispensável margem de manobra para suportar uma resposta eficaz à pandemia e ao seu impacto económico.

António Saraiva

Números que dão que pensar

Conhecido o apuramento da execução orçamental em 2020, é já possível tecer algumas considerações mais fundamentadas sobre a resposta dada pela política orçamental ao impacto económico da pandemia.
Comparemos, em primeiro lugar, a execução com o que foi orçamentado: concluímos que a receita ficou praticamente no valor previsto pelo Orçamento Suplementar, enquanto a despesa ficou cerca de mil milhões de euros aquém do orçamentado. Daqui resultou um desvio do défice sensivelmente no mesmo montante de um pouco mais de mil milhões de euros. Em percentagem do PIB, o défice foi de 5,7% contra os 6,3% projetados pelo Orçamento Suplementar.

António Saraiva

2021: O ano europeu do transporte ferroviário

No próximo dia 29 de março terá lugar o lançamento do ano europeu da ferrovia. A União Europeia decidiu designar 2021 como o Ano Europeu do Transporte Ferroviário, para promover o uso dos comboios como modo de transporte sustentável, inovador e seguro. Durante este ano serão sublinhados, nomeadamente, os seus benefícios para a economia e o ambiente e procurar-se-á dar particular atenção aos desafios que subsistem à criação do verdadeiro espaço ferroviário europeu único, sem fronteiras.