Joana Petiz

A fatia de leão tem de ser das empresas

É o próprio governo que afirma e repete a necessidade de proteger as empresas para salvar o emprego e garantir a capacidade de recuperação da economia. Não há dúvidas no discurso - que os restantes partidos à esquerda continuam a rejeitar em nome de um Estado-todo-poderoso providenciador, omitindo que sem receita não há o que redistribuir e que o dinheiro público não tem geração espontânea, antes é retirado do bolso dos contribuintes. Mas se a mensagem é clara, os métodos não coincidem. Basta ver que a fatia de leão do Plano de Recuperação e Resiliência é adjudicada a programas e instrumentos públicos.