Tecnologia

IBM elimina postos de trabalho nos Estados Unidos

IBM
Sam Barnes/Web Summit via Sportsfile

A tecnológica estará a fazer despedimentos em pelo menos cinco localizações nos Estados Unidos, avança a Bloomberg.

A gigante IBM é outra das empresas da área da tecnologia que está a fazer despedimentos num contexto de crise causada pela pandemia de covid-19. A Bloomberg avança esta sexta-feira que a empresa eliminou vários postos de trabalho nos Estados Unidos, em pelo menos cinco localizações.

Através de Ed Barbini, porta-voz da empresa, a IBM avançou à Bloomberg um comunicado oficial, mas onde não é especificado concretamente qual o número de trabalhadores que podem ser afetados por este despedimento. “A IBM trabalha num mercado altamente competitivo que requer flexibilidade para adicionar constantemente competências de alto valor à nossa força de trabalho. Ao mesmo tempo em que estamos a considerar a situação atual, as decisões em relação à força de trabalho da IBM são do interesse e saúde do nosso negócio”.

“Reconhecer a situação única e difícil que esta situação poderá criar para alguns dos nossos empregados, a IBM está a oferecer cobertura médica subsidiada a todos os trabalhadores afetados até junho de 2021”.

A publicação indica ainda que este corte nos postos de trabalho poderá chegar aos “milhares”, conforme avançam alguns dos trabalhadores despedidos. Os despedimentos estarão a acontecer em localizações como a Pensilvânia, Califórnia, Missouri, Carolina do Norte e Nova Iorque.

A IBM não é a única tecnológica a fazer despedimentos. Esta semana, a Uber anunciou que vai despedir mais três mil pessoas e encerrar 45 dos seus escritórios; no início do mês, a plataforma de mobilidade já tinha anunciado que pretendia despedir 3700 pessoas. Também a Airbnb ou a GoPro já anunciaram cortes no número de trabalhadores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

IBM elimina postos de trabalho nos Estados Unidos