Dinheiro Vivo TV

Caldeira Cabral: “Web Summit vai trazer mais emprego e investimento”

A carregar player...

Manuel Caldeira Cabral mostrou-se satisfeito com a permanência do Web Summit em Portugal durante mais dez anos.

O ministro da Economia garante que o evento vai trazer “mais emprego a Portugal e também mais investimentos de grandes tecnológicas”, disse em resposta a uma pergunta do Dinheiro Vivo.

“Vai trazer mais investimentos como já trouxe da Google, da Mercedes, da Zalando e de várias outras companhias que se mudaram para Portugal”, avançou, na conferência de oficialização de permanência do Web Summit em Lisboa por mais dez anos, esta quarta-feira de manhã na Altice Arena.

“Quanto é que isto custa? Os apoios que foram anunciados são de 11 milhões por ano, são claros e transparentes, e o que tem é uma cláusula de rescisão. Se a Web Summit sair, há uma indemnização que está prevista para compensar o esforço que Portugal está também aqui a fazer”. O valor da cláusula de rescisão é de 340 milhões de euros por ano.

“Este esforço que estamos a fazer tem também como contrapartida as enormes vantagens que o primeiro-ministro referiu. Há vantagens imediatas com os ganhos que temos com os turistas, com os visitantes, com toda a atividade económica que se gera à volta de uma conferência desta dimensão”, disse o ministro da Economia.

António Costa tinha dito minutos antes que este evento, cuja edição de 2018 decorre entre 5 e 8 de novembro na FIL e no Altice Arena, “é muito mais do que ter um motivo de atração para o turismo em Portugal”, uma vez que é “capaz de projetar o país como um país da inovação e da tecnologia”.

Retorno fiscal do Web Summit
Manuel Caldeira Cabral falou depois do próprio retorno fiscal que o evento representa para os cofres do país. “Esses valores estão estimados em poderem atingir mais de 300 milhões de euros, mas há depois também só as receitas fiscais, que só no último ano foram estimadas num valor superior a 30 milhões, mas com o escalar deste evento – e é isto que tem estado a acontecer nos últimos anos – para mais de 100 mil pessoas, podemos estar de facto a falar já de uma receita fiscal que paga várias vezes este apoio que estamos a dar”.

Além do ministro da Economia, também o primeiro-ministro António Costa mostrou-se satisfeito com o desfecho das negociações. “Deve-se apostar em Portugal, não é por Portugal estar na moda, é porque Portugal mudou, está a mudar e vai continuar a mudar”, frisou o líder do Governo.

Já o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, mostrou-se convencido de que o Web Summit “vai tornar Lisboa na capital da inovação“.

Web Summit em Lisboa até 2028
A capital portuguesa vai mesmo ser a casa da Web Summit por mais uma década. O evento que nasceu em Dublin (Irlanda) – e que se transferiu para Lisboa em 2016 – vai ficar até 2028, confirmou o governo português e a organização, num evento que decorre esta quarta-feira em Lisboa, na Altice Arena.

No ano passado, esta cimeira reuniu em Lisboa cerca de 60 mil pessoas de 170 países, das quais 1.200 oradores, duas mil startups, 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

Web Summit - media partner
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

RODRIGO ANTUNES / LUSA

Governo reúne motoristas e patrões em nova maratona de “intransigências”

Posto de abastecimento de combustíveis REPA (Rede Estratégica de Postos de Abastecimento) no Porto (ESTELA SILVA/LUSA)

Revendedores de combustíveis esperam acordo “o mais brevemente possível”

Outros conteúdos GMG
Caldeira Cabral: “Web Summit vai trazer mais emprego e investimento”